terça-feira, 23 de junho de 2009

SOBRE O MOVIMENTO PRÓPRIO DOS ASTROS E ÁTOMOS.

ancelmo luiz graceli


SOBRE O MOVIMENTO PRÓPRIO DOS ASTROS E ÁTOMOS.



Todo astro por possuir e ser constituído de energia e interações físicas, ele desenvolve a sua própria dinâmica independente de ação externa. Porem depende da energia que recebeu de seu primário ao ser formado e da rotação do primário.
[isto será publicado na teoria da alternancidade e rotacionalidade].

O universo se encontra em translação que é impulsionado através de suas interações físicas, energia e radiação. Isso é constado na translação dos planetas e outros astros, e sendo o universo de idade infinita, que é constatado pelo arredondamento perfeito dos astros, vemos que não seria possível ver e sentir a luz e o calor do Sol, pois ele desenvolveria velocidade paralela e não transversal, pois estariam infinitamente longe.

Considerando o tempo para a esfericidade, sem levar em conta o tempo para a sintetização dos elementos químicos e átomos que formam o sistema solar.

INFINITUDE DE PRODUÇÃO DO UNIVERSO.

O universo se encontra num mínimo afastamento de uma galáxia em relação à outra, porém o que dá a aparência para o vermelho no efeito Doppler é a translação e rotação do próprio cosmo.

A luz se desintegra durante o seu percurso perdendo intensidade durante a processoalidade de sua energia.

O universo possui existência infinita na origem e no seu futuro, pois a matéria que se desintegra num momento no futuro se integrará novamente, tornando um processo infinito com novos astros e com novas energias. É como a chuva que cai e volta a ser nuvem.

Porém, a matéria possui produção infinita pelo espaço denso, onde novos universos surgirão.

O espaço é denso, porém não é curvo.

E o tempo não existe como coisa em si, só como produto da consciência e medido pela dinâmica dos processos no funcionamento do cérebro a ser medido pela memória.

Assim, o que existe é o tempo da memória do processamento do cérebro. Ou seja, da velocidade de produção da memória pelo funcionamento do cérebro.

SOBRE A MEMÓRIA.

A memória é produto da processoalidade do cérebro, que durante esta processoalidade é produzida a memória, a mente, e o pensamento.

SOBRE A UNIFICAÇÃO DOS FENÔMENOS FÍSICOS, QUÍMICOS E BIOLÓGICOS.

Através dos processos físicos são produzidos os átomos e os elementos químicos, que os processos físicos levam a matéria a evoluir, chegando até a matéria biológica e a vida, que da vida surgirá a mente e a consciência, ou seja, tudo é uma só origem, e uma só essência. O que difere é o estagio de evolução em que se encontra a matéria, ou se preferir, o espaço denso.

SOBRE A ABUNDANCIA DOS ELEMENTOS QUÍMICOS E SUA EVOLUÇÃO.

A curva na abundancia dos elementos químicos mostra que os elementos não tiveram uma produção uniforme. Com fases de grandes produções de energia fazendo com que alguns elementos fossem rapidamente fundidos, fazendo com que os elementos não obedecessem a uma reta na evolução dos elementos químicos, por isso que os elementos dependem de condições próprias para desenvolver com maior ou menor intensidade uma evolução.

Ou seja, conforme uma variação de intensas interações físicas e altas temperaturas um elemento químico pode passar rapidamente de uma fase para outra, deixando uma lacuna com maior ou menor quantidade de um para outro.

Ou seja, a evolução dos elementos não é uniforme, mas sim, variável. O mesmo acontece com a evolução dos astros, ou mesmo dos seres vivos.

E que o planeta passou por fases de intensa produção de energia, e outras menos, e também teve regiões com variações na produção de energia.

SOBRE O MOVIMENTO DO UNIVERSO.

O universo possui o seu próprio movimento no espaço, que ele produz através de sua energia, logo se nada impulsiona o cosmo é sinal que não é preciso alguma ação de fora para impulsioná-lo, assim todo conjunto ou aglomerado de energia pode produzir o seu próprio movimento.

SOBRE A UNIFICAÇÃO DOS FENÔMENOS FÍSICOS POR INTERAÇÕES FÍSICAS E DE ENERGIA.

Todos os fenômenos se unificam entre si como energia e forma de interações físicas ou produzidas por elas, como partículas, campos, matéria, energia, elementos químicos, átomos, gases, radiação, descaimentos nucleares, fusões espontâneas, fusões nucleares, raios-x, luz, temperatura, envelhecimento e dinâmica de astros, formação de galáxias, a vida, a psiquê e mente, órbitas, etc.

SOBRE A CONSERVAÇÃO DE ENERGIA.

Se o universo surge da compressão do espaço denso, e processa todo o seu funcionamento produzindo a matéria, e vindo a se desintegrar para produzir novos astros, etc., logo, a conservação de energia não condiz com a realidade.
Pois a energia é uma consequência do estágio de espaço denso para a forma de matéria, ou energia livre no espaço.

SOBRE A EVOLUÇÃO DOS ELEMENTOS QUÍMICOS E DAS ESPÉCIES.

Se for considerado a sintetização dos elementos químicos e a esferificação dos astros, se confirma que o universo é infinitamente velho e mantém um fluxo de formação. Assim, deve-se levar em conta que a evolução dos elementos químicos e das espécies é muito mais velha.

OS ELEMENTOS QUÍMICOS PASSAM POR UM PROCESSO DE SINTETIZAÇÃO E ENVELHECIMENTO, aonde de um elemento químico leva a formação de outro. Assim, sucessivamente.

Assim, os elementos químicos são produtos de sintetizações, onde passam por processos de decaimentos atômicos, radiações, fusões e envelhecimentos, que é determinado por suas interações físicas de produção de energia.

Ou seja, os elementos químicos dependem de interações físicas, e por isto que há uma diferença na escala e na abundância dos mesmos, onde uns existem em maiores quantidades e outros menos, e que outros passam para a outra fase com maior facilidade.

Assim, fases de variações de produção de energia que determina as mudanças, evolução e estágios dos elementos.

SOBRE A INTENSIDADE DAS INTERAÇÕES DE PRODUÇÃO DE ENERGIA NA PRODUÇÃO DE NOVOS ELEMENTOS.

A intensidade das interações físicas aumenta a radiação, o descaimento atômico levando os elementos químicos a uma instabilidade química. Os elementos são fundidos de leves em pesados, saindo de elementos instáveis para elementos estáveis.

Porém a intensidade da interação e produção de energia em que se encontra o elemento que vai determina a intensidade da sua variação.

A quantidade e tempo da interação também são um dos fatores de mudança, porem é a intensidade que é o grande determinante.

POR ISTO A CURVA NUM GRÁFICO NA ABUNDÂNCIA DOS ELEMENTOS.

VARIAÇÃO E FLUXO DE ESTABILIDADE CÓSMICA.

O cosmo sai do seu estagio de estabilidade espacial, e passa a instabilidade de energia e materialidade em interações físicas na produção de energia, e volta à estabilidade química em elementos pesados e astros com esferificação perfeita, com pouca radiação, pouca luz e calor, e órbitas com grandes excentricidades e inclinações, e dinâmica lenta. Isto é constatado com o afastamento entre os planetas e o resfriamento do Sol.

HARMONIA ESTRUTURAL DO UNIVERSO.

Há uma relação entre distancia, afastamento, átomos, planetas, estrelas e galáxias, como também a energia interna do astro, temperatura, com uma harmonia funcional de compressão de desintegração da matéria, de energia, de átomos, de astros, e evolução dos elementos químicos. Esta harmonia se encontra nas estruturas naturais básicas, como planetas, estrelas e galáxias.

FLUXO DE PRODUÇÃO E DESINTEGRAÇÃO.

Vê-se que os astros não possuem idade, pois é produto de um processo constante de compressão e desintegração. Onde um elemento de um astros no futuro vai se modificar e vai estar em outro astro.

E que é mantido um afastamento harmônico da própria matéria, e isto nós constatamos na compressão da termodinâmica, em que quanto mais térmico for um astro, ou átomo maior o seu potencial de desintegração, radiação, interações físicas de produção de energia, e decaimentos atômicos.

MOVIMENTO ALEATÓRIO. Improvável e irregular.

Vê-se que partículas desenvolvem movimento aleatório não determinado meio físico, e isto se ocorrem por causa de suas intensas interações físicas internas em relação à micro estrutura química e física.

Onde a energia é grande e produz o movimento aleatório sobre uma partícula. Isto é comum nos gases sob pressão, que ao serem ativados instantaneamente por acréscimo de temperatura, quando num recipiente, a dinâmica aumenta e o percurso é o mais improvável e irregular possível.

E átomos ao saírem de um meio de plasma, como nas radiações próximas do Sol.

SOBRE A VIDA NA TERRA.

Com o aquecimento do planeta Terra pela retirada de petróleo, o mesmo tende ficar mais quente, com maiores umidades, onde teremos mais terremotos, vulcões, maremotos, furacões, etc. Isso trará prejuízo, porém aumentará o tamanho de suas árvores e surgirão novas espécies vegetais e animais, e prolongará o tempo de vida do astro, pois ele entrará em resfriamento com o passar do tempo.

E já estava em processo de esfriamento natural, por dois motivos. Um pela desintegração de energia do astro e o outro pelo afastamento progressivo do Sol.

Animais como dinossauros desapareceram por causa do resfriamento do planeta, que ocorreu pelo afastamento do Sol, perca de energia e temperatura pela radiação.

O fluxo da evaporação será maior e com mais intensidade, com isso o planeta será mais quente e úmido, e a evaporação constante e alta temperatura dará origem a novos e maiores seres.

SOBRE O MOVIMENTO DA ATMOSFERA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário